Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/05/18 às 12h09 - Atualizado em 17/05/18 às 15h35

RECUPERA CERRADO

COMPARTILHAR

 

 

A Secretaria do Meio Ambiente (Sema) é responsável pela criação do Plano Recupera Cerrado, Programa Recupera Cerrado e assinatura acordo para empresas repassarem seus passivos ambientais para atividades de recuperação de vegetação. 

 

O Distrito Federal sofre os efeitos da elevada perda de cobertura da vegetação nativa. A crise hídrica no DF é o sinal mais evidente.

 

A fim de enfrentar esse problema, a Secretaria de Meio Ambiente, em parceria com diversas organizações, instituiu a Aliança Cerrado, com o compromisso construir de forma participativa políticas públicas que promovam a recuperação e conservação do cerrado no Distrito Federal e entorno. Entre os desdobramentos dos trabalhos dessa aliança, elaborou-se o Plano Recupera Cerrado, que apresenta estratégias, instrumentos e propostas para a recomposição do cerrado.

 

O plano tem o objetivo de identificar as condições legais, financeiras, institucionais e sociais necessárias para promover a recomposição das áreas desmatadas e degradadas de forma a transformá-las em ambientes resilientes e capazes de proporcionar segurança hídrica, econômica e alimentar, salvaguardar a biodiversidade e serviços ecossistêmicos associados, prover produtos e subprodutos florestais e mitigar as mudanças climáticas.

 

A Aliança Cerrado apontou as áreas prioritárias para serem recuperadas no cerrado do DF

 

O governador Rodrigo Rollemberg assinou em 2016 o decreto do  Programa Recupera Cerrado.

 

Se você quiser, pode ler a íntegra do decreto.

 

Com a criação do programa, foi assinado no Dia Nacional do Cerrado, 11 de setembro, o Acordo de Cooperação Técnica (ACT), reunindo a Fundação Banco do Brasil (FBB), o Sistema Florestal Brasileiro (SFB), o Ibram e a Terracap, além da Secretaria de Meio Ambiente. Este acordo estabelece a possibilidade de empresas com passivo florestal repassarem parte da compensação em recursos, que serão reforçados por repasses de R$ 5 milhões do governo federal, além de R$ 2 milhões da Terracap.

 

O primeiro edital foi lançado no dia 4 de abril de 2018. Neste primeiro momento, está previsto investimento de R$ 1 milhão, a título de recomposição florestal, devido pela Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap). Poderão se inscrever, até 4 de junho, instituições sem fins lucrativos interessadas. O edital foi publicado no site da Fundação Banco de Brasil (https://fbb.org.br/pt-br/recuperacerrado).

 

Cartilha – Protocolo de Monitoramento da Vegetação Nativa*

 

*O Protocolo de Monitoramento da Recomposição Nativa no Distrito Federal é resultado dos esforços da Aliança Cerrado para regulamentar a legislação ambiental. É ferramenta essencial para acompanhar o cumprimento das metas e objetivos da recomposição do cerrado.