Governo do Distrito Federal
7/12/21 às 17h25 - Atualizado em 7/12/21 às 17h51

Campanha Educativa chama cidadãos para participar da Coleta Seletiva

 

Um coco verde e um canudinho, dupla imbatível em dias quentes, com passeios na praia ou nos parques, ganha história inusitada na campanha de educação ambiental voltada ao reforço da coleta seletiva no Distrito Federal, lançada nesta terça-feira, 7, em meio digital. Transformados em personagens de novela, após o consumo, o coco verde vai para a coleta de resíduos orgânicos e rejeitos e, o canudinho, para o container dos recicláveis. Separados pelo Destino, como diz o título da campanha, eles seguem o caminho da coleta seletiva, protegendo o meio ambiente e melhorando a qualidade de vida da população. A veiculação será via Redes Sociais e por uma página na Internet. “São várias histórias de encontros e separações. E um final feliz que só depende de você”, diz um dos textos.

 

A iniciativa é resultado de parceria entre a Secretaria de Meio Ambiente (Sema), o Brasília Ambiental, o Serviço de Limpeza Urbana (SLU), a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa) e a Secretaria de Comunicação (Secom). As peças de divulgação usam enredo de novela para tratar do funcionamento da Coleta Seletiva no DF e de como as pessoas podem fazer para participar.

 

De acordo com a Secom, a campanha é o primeiro contato do GDF com o cidadão sobre o tema em muitos meses, e por esse motivo, o foco educacional está bem presente nas peças publicitárias. A ideia é ensinar a população a separar os resíduos, por meio de uma linguagem simples e popular, a das novelas.

 

O secretário de Meio Ambiente, Sarney Filho, conta que a campanha consolida os esforços da Sema em promover uma gestão mais adequada dos resíduos no DF. “Somente com o envolvimento dos cidadãos na separação dos materiais recicláveis diretamente na fonte será possível concretizar a inclusão socioeconômica dos catadores e a preservação ambiental com o aumento das taxas de reciclagem e da vida útil do Aterro Sanitário de Brasília. Esperamos que todos colaborem replicando a campanha em suas redes sociais e que ela se torne uma ação continuada no GDF, ganhando cada vez mais espaço nos diversos meios de comunicação”, afirma.

 

Renda – “A coleta seletiva gera renda para milhares de famílias de catadores das cooperativas, além de trazer diversos benefícios ambientais, pois são toneladas de resíduos que voltam ao ciclo produtivo e que a gente deixa de aterrar todos os dias. Então, quanto mais pessoas a gente envolver nessa luta, melhor vai ser para todo mundo. Essa campanha tem uma linguagem fácil e certamente vai ajudar na sensibilização da população do DF”, afirma o diretor-presidente do SLU, Sílvio Vieira.

 

Félix Palazzo, diretor da Adasa, acredita que a separação dos resíduos antes da entrega à coleta seletiva é extremamente importante. “Ela injeta dinheiro e recursos na economia, propicia emprego e renda para os catadores, diminui os gastos com recursos públicos, preserva o aterro sanitário e ajuda o meio ambiente. Todos devemos assumir nossa parte da responsabilidade e contribuir para este círculo virtuoso acontecer em nossa cidade”, diz.

 

Apoio – A gerente de Implementação da Política de Resíduos da Sema, Maria Fernanda Teixeira, conta que, sem a participação da população, de pouco vale todo o investimento que o Governo vem fazendo na construção de Centros de Triagem, contratação de catadores, gestão do Aterro Sanitário. “Nós encerramos o segundo maior Lixão da América Latina. Temos um dos Complexos de Reciclagem mais modernos do país. Inauguramos um Aterro Sanitário em acordo com todas as exigências técnicas e ambientais, mas ainda enterramos boa parte do que poderia ser reciclado”, alerta.

 

Ela também destaca que Separados pelo Destino dá continuidade à campanha Continue Acertando, veiculada ano passado nas Redes Sociais, composta por vídeos curtos, gravados em casa, por servidores do GDF enquanto estavam em isolamento social. “Agora, remodelamos a campanha com o objetivo de alcançar um maior número de pessoas e termos um maior engajamento da população com a Coleta Seletiva, como resultado”, diz.

 

Maria Fernanda explica ainda que a ideia é que a campanha seja continuada e alcance outros meios de comunicação, mostrando à população que a coleta seletiva no DF é real e que os catadores dependem da separação feita em casa e que aderir à coleta seletiva é uma questão de hábito.

 

 

Inovação – O analista em Políticas e Gestão Governamental e coordenador da Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P) no Brasília Ambiental, Webert Oliveira Ferreira, lembra que durante o início desafiador e histórico de pandemia, os servidores precisaram inovar para ir além e poder entender e levar serviços para o novo cenário.

 

Ele relembra que foi com soma de esforços que a Campanha Continue acertando foi criada. “Com a distribuição de vídeos educativos sobre a coleta seletiva feitos de forma simples e com pouco recurso. A ação deu tão certo que fortificou o grupo de trabalho formado pela SEMA, Adasa, SLU e o Brasília Ambiental, estruturando o Comitê Brasília Recicla, que nessa nova roupagem, volta com força total com uma nova campanha criativa chamada Separados Pelo Destino, com a entrada da Secretaria de Comunicação do GDF”, completa.

 

Para Webert, é muito gratificante trabalhar e ter agentes de diferentes órgãos, fazendo um serviço tão perfeito e importante para a sociedade e para o meio ambiente. “Além de essas serem ações que estão nas metas dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável – ODS. Logo, o mais fantástico é que essas são atividades que estamos fazendo e ao mesmo tempo atingindo metas governamentais”.

 

Conheça aqui as peças da campanha:

 

https://www.facebook.com/govdf

https://www.instagram.com/gov_df/

https://twitter.com/gov_df

www.df.gov.br/separadospelodestino