Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
24/05/21 às 16h17 - Atualizado em 25/05/21 às 0h38

Parque Vivencial do Lago Norte recebe ações de acessibilidade

COMPARTILHAR

Esta é a primeira etapa de um pacote de ações que buscam tornar o parque 100% acessível até o final de 2022.

 

 

 

O secretário do Meio Ambiente, Sarney Filho, acompanhou nesta segunda-feira(23) as primeiras intervenções de acessibilidade no Parque Ecológico do Lago Norte. A unidade de conservação já recebeu contêineres com pisos adaptados, rampas e sinalização em braile.

 

“Esta é uma iniciativa modelo que queremos levar também para outros parques de Brasília. Nossa meta é oferecer todo conforto para a população que frequenta as áreas verdes e merece ser acolhida com intervenções como esta”, afirmou o secretário.
As benfeitorias entregues hoje são fruto de um acordo de cooperação com a Associação de Paracanoagem de Brasília, com apoio da Secretaria de Turismo do DF (Setur).

 

Participaram do evento a secretária de Turismo, Vanessa Mendonça, o secretário de Economia, André Clemente e o presidente do Instituto Brasília Ambiental, Claudio Trinchão.

 

O Projeto UNA Parque é coordenado pela Unidade Nacional de Acessibilidade. A ação proporcionará a todas as pessoas, com deficiência ou não, acesso às atividades educativas, esportivas e culturais.

 

Serão realizadas atividades como aulas de canoagem, stand up paddle, yoga e tênis de mesa. As experiências serão gratuitas para pessoas com deficiência e ocorrerão ao longo de 13 finais de semana. O objetivo é emplacar a acessibilidade como parte do cotidiano da capital federal.

 

“Entendemos que toda pessoa com deficiência – física, intelectual, visual ou auditiva – deve ter direito à igualdade de oportunidades assegurada. Nosso projeto propõe o acolhimento, atividades gratuitas para reabilitação e inclusão social de pessoas com ou sem deficiência, visando o acesso ao esporte e ao lazer, minimizando os impactos causados por diferentes condições”, afirma a presidente da UNA e paratleta da Seleção Brasileira de Paracanoagem, Andréa Pontes.

 

Apoiadora da iniciativa, a secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça defendeu que o objetivo da Setur “é fortalecer Brasília como uma cidade inclusiva e democrática, posicionando a capital federal como referência em turismo com acessibilidade”.

 

Etapas

 

Esta é a primeira etapa de um pacote de ações que buscam tornar o parque 100% acessível até o final de 2022.

 

No momento, o Brasília Ambiental realiza levantamentos para elaboração dos projetos que contemplam outros equipamentos, além de intervenções na infraestrutura. As ações devem ser executadas no próximo ano, via compensação ambiental.

 

 

 

Assessoria de Comunicação

Secretaria do Meio Ambiente