Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/03/19 às 15h48 - Atualizado em 8/03/19 às 16h41

Jardim Botânico de Brasília inaugura Escola Superior do Cerrado

COMPARTILHAR

O Jardim Botânico de Brasília completa nesta sexta-feira (08/03) 34 anos e a celebração começou cedo, com a inauguração da Escola Superior do Cerrado (ESC) no Centro de Excelência do Cerrado (Cerratenses) e do Jardim da Polônia na Alameda das Nações e Estados. A solenidade contou com a presença do Secretário de Meio Ambiente do DF, Sarney Filho, presidente do IBRAM, Edson Duarte, além de parlamentares, representantes de instituições de ensino do DF e outros parceiros do JBB. Ao final do evento, as mulheres presentes foram homenageadas pelo Dia Internacional da Mulher.

 

Sarney Filho, que representou o governador Ibaneis Rocha, destacou a importância do JBB para a Bioma Cerrado. “Ter espaços como esse é um privilégio e nós devemos intensificar, incentivar e ajudar para garantir, cada vez mais, serviços socioambientais, de sustentabilidade e de educação ambiental à sociedade. A Sema terá sempre um  olhar especial para o Jardim Botânico”, disse.

 

A diretora do JBB, Aline De Pieri, aproveitou a oportunidade para reforçar o convite para as festividades do aniversário que seguirão até domingo, com feiras de flores e orquídeas, produtos orgânicos, exposição dos equipamentos dos Bombeiros utilizados no combate aos incêndios florestais, além de apresentação de bandas. Para as crianças, haverá arvorismo, oficinas de pintura e passeios de trenzinho pelo jardim.

 

“É uma satisfação enorme inaugurar hoje a Escola Superior do Cerrado para formarmos profissionais especialistas em preservação e complementar nossa missão de promover a conservação de espécies nativas”, afirmou a diretora após a solenidade.

 

O presidente da Funab, Jorge Maia Nunes, elogiou a estrutura física da escola e destacou a importância de formar técnicos em desenvolvimento sustentável. “Fiquei encantado com a estrutura física da escola, que se ajusta e se integra perfeitamente com o meio ambiente e não ofende o entorno. E aproveito para aplaudir a concepção da instituição que tem a missão de formar técnicos preocupados com o desenvolvimento sustentável”, disse Jorge Nunes.

 

O deputado distrital Leandro Grass (Rede) parabenizou a iniciativa e adiantou que sua luta sempre será a favor do meio ambiente e do Cerrado.

 

Também estiveram presentes na solenidade o presidente do Conselho Educação do DF, Mário Mafra, o presidente Fundo de Apoio à Pesquisa, Alexandre dos Santos, a secretária adjunta de Organização do Trabalho Pedagógico, Janaína Almeida Sérgio, o administrador do Lago Sul, Rubens Santoro, a presidente da Emater, Denise Fonseca e a deputada federal Paula Belmonte (PPS).

 

 

 

 

Escola Superior do Cerrado

 

A Escola oferecerá cursos de graduação e pós-graduação em parceria com a Funab. Inicialmente será oferecido o curso de Gestão Ambiental e, posteriormente Gestão de Recursos Hídricos e de Resíduos Sólidos.

 

Atendendo a uma demanda por cursos de graduação de curta duração para que o aluno possa entrar mais cedo no mercado de trabalho, a instituição desenvolveu uma grade curricular de cinco semestres. A cada seis meses, o estudante receberá uma habilitação certificada que poderá ser usada para conseguir um bom emprego. No caso específico do curso de Gestão Ambiental da ESC o aluno sai habilitado como: Técnico em Agente de Defesa Ambiental, Técnico de Controle de Meio Ambiente, Viveirista Florestal e, ao final do curso, Gestor Ambiental.

 

A metodologia também será diferenciada. Os alunos aprenderão através da solução de problemas apresentados como se já fossem profissionais da área. Com a ajuda dos professores, os estudantes tentarão resolver as questões. Os tutores virão do quadro do GDF e são profissionais da área ambiental. Eles receberão treinamento para trabalhar com essa modalidade de ensino e dividirão sua carga horária semanal de trabalho entre a instituição de vínculo e a ESC.

 

No Brasil, somente os jardins botânicos do Rio de Janeiro e São Paulo oferecem cursos regulares de pós-graduação na área de Botânica.

 

Jardim Polonês

 

A inauguração do Jardim Polonês também marcou a manhã de comemorações dos 34 anos do JBB. O país é o segundo a ocupar um espaço na Alameda das Nações e Estados e o evento contou com a presença dos alunos da Escola Classe Jardim Botânico.

 

A Encarregada de Negócios da Embaixada da Polônia, Marta Olkowska, destacou que a proposta do espaço é proporcionar aos visitantes uma identificação com o país, além de trazer um pouco das características polonesas para o Cerrado.

 

Programação do aniversário

 

No fim semana (9 e 10 de março), haverá programação cultural diversificada no Jardim Botânico e a ideia é proporcionar aos visitantes momentos de lazer em meio à natureza, sempre com foco na valorização do meio ambiente. A equipe da Educação Ambiental do JBB fará passeios pelas trilhas ecológicas, de trenzinho pelas principais atrações da unidade além de exibição de vídeos com a temática ambiental.

 

O Corpo de Bombeiros também estará presente para exibição de equipamentos utilizados no combate aos incêndios florestais, como helicóptero, caminhões, viaturas e ônibus para transporte da tropa.

 

Biodiversidade

 

O JBB foi inaugurado em 1985 e em 1996 a unidade foi transformada em Estação Ecológica. Atualmente, abriga 4.518 hectares de Cerrado preservado e 25% dos mananciais que abastecem toda a região do Lago Sul, incluindo o Lago Paranoá.

 

Foi o primeiro jardim botânico no mundo a manter coleções de plantas in situ, ou seja, no seu ambiente, permitindo a manutenção de sistemas e processos naturais como a melhor forma de conservação de recursos genéticos.

 

A fauna que compõe a biodiversidade do Jardim é representada por 77 espécies da mastofauna (marsupiais, roedores, morcegos médios e grandes, algumas ameaçadas de extinção); 257 espécies de avifauna; 73 espécies da herpetofauna (lagartos, serpentes, tartaruga e anfíbios).

 

O Cerrado se estende por mais de 2 milhões de quilômetros quadrados (Km2) do território brasileiro, o que equivale a quase 24% do país. Contudo, a área com vegetação íntegra do bioma já foi reduzida a cerca de 20% de sua cobertura original. Este tipo de savana possui uma das maiores biodiversidade do mundo, e estima-se que possua mais de 6 mil espécies de árvores e 800 espécies de aves. Acredita-se que mais de 40% das espécies de plantas lenhosas e 50% das abelhas sejam endêmicas, ou seja, só existem no bioma.

 

Programação 34 anos do JBB:

 

9 e 10 de março:

 

Centro de Visitantes:

 

– Feira de Orquídeas;

– Exposição e venda de suculentas, terrário, vasos ornamentais, biojoias e produtos naturais;

– Feira de produtores da Emater com bancas de frutas, verduras, mel, queijos;

– Exposição do Corpo de Bombeiros com equipamentos usados no combate aos incêndios florestais (caminhões, viaturas, helicóptero);

– Apresentação de bandas;

– Comidinhas (sanduiches, crepes, etc)

 

Parquinho Infantil:

 

– Arvorismo;

 

Casa de Permacultura:

 

– Oficina de pintura;

– Exibição de vídeos sobre a temática ambiental

 

Educação Ambiental

 

– 10h, 11h, 14h30 e 15h30

Passeio de trenzinho pelo JBB (35 pessoas): os visitantes terão a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre o Cerrado embarcando no trem do JBB com a presença de um educador ambiental (embarque em frente ao cactário).

– 9h

Trilhas ecológicas: os primeiros 20 inscritos terão a oportunidade de caminhar pelo Jardim Botânico com a presença de um educador ambiental. O percurso deve durar cerca de uma hora e meia (inscrições no Centro de Visitantes).

 

Assessoria de Comunicação Jardim Botânico DF / ASCOM SEMA