Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/02/18 às 17h33 - Atualizado em 8/02/18 às 16h29

Edital chama parceria para o primeiro hospital veterinário público do DF

COMPARTILHAR

 

Local será um dos maiores hospitais veterinários públicos da América Latina. Organizações tem até 1º de março para envio de propostas para unidade localizada no parque Lago do Cortado, em Taguatinga.  

 

O Instituto Brasília Ambiental (Ibram) lançou o edital de chamamento público de Organizações da Sociedade Civil (OSCs) para implantar e operacionalizar o primeiro Hospital Veterinário Público de Brasília. Publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta quarta-feira (31)o texto prevê que as entidades de todo o Brasil interessadas tem até o dia 31 de março para enviar propostas voltadas ao atendimento de animais domésticos.

 

“O edital é uma iniciativa inovadora que conta com o incentivo do governador Rodrigo Rollemberg e o apoio dos movimentos em defesa dos direitos dos animais. O local será um dos maiores hospitais veterinários públicos da América Latina. Esta é uma importante retomada de um projeto que atenderá há uma questão de saúde pública para Brasília”, explica o secretário de meio ambiente Igor Tokarski.

 

O projeto do hospital foi lançado há 5 anos. O prédio tem 540m² e fica no parque Lago do Cortado, em Taguatinga. Lá, serão oferecidos serviços gratuitos de clinica, cirurgias, exames laboratoriais e outros tratamentos em cães e gatos. A previsão orçamentária anual será de R$ 2,4 milhões que devem garantir o atendimento de pelo menos 400 mil cães e gatos.

 

Segundo o presidente do instituto, Aldo Fernandes, além do atendimento cirúrgico e clínico, os profissionais vão orientar a população sobre boas práticas, normas e higiene dos animais, para promoção da guarda responsável.

 

DF tem 2ª maior população de pets do país

 

Levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em parceria com a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), mostrou que o Brasil já tem a segunda maior população de pets do mundo. São 22,1 milhões de felinos e 52,2 milhões de cachorros. A população de gatos se multiplica em maior proporção e deve predominar em menos de dez anos, alerta o estudo.

 

No DF, a lei nº 4.060, de 2007, art. 3º, inciso V, considera maus-tratos deixar de prestar assistência veterinária a animal doente, ferido, extenuado ou mutilado, o que torna essencial a existência de serviço público veterinário.

 

Programa de castração de animais domésticos  

 

Desde 2015, o Ibram conduz o Programa de Manejo Populacional de Cães e Gatos, o que tornou o DF uma das unidades do País mais avançadas na prevenção e controle da proliferação de animais domésticos.

 

A cada ano, são castrados, gratuitamente, mais de 7 mil animais, segundo informa o coordenador de Fauna do Instituto, Almir Picanço Figueiredo, um dos técnicos envolvidos no projeto do hospital.