Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/03/19 às 13h18 - Atualizado em 27/03/19 às 13h18

Curso capacita servidores em combate aos incêndios florestais

COMPARTILHAR

 

A Secretaria de Meio Ambiente (SEMA), em parceria com o Corpo de Bombeiros do DF, está capacitando os agentes dos órgãos e instituições que tenham atribuições relativas ao combate de incêndios florestais. O curso sobre Sistema de Comando de Incidentes (SCI) está sendo ministrado no Grupamento de Proteção Ambiental, com a participação de 25 agentes públicos que compõem o Plano de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais no DF (PPCIF).

 

O SCI é uma ferramenta internacional de gerenciamento de emergências, que permite a utilização de uma estrutura organizacional comum em caso de incidentes, como o dos incêndios florestais.

 

“O curso é essencial para quem trabalha diariamente com incidentes de qualquer dimensão. No nosso caso especifico, o curso é voltado para capacitar os nossos servidores a aplicar estratégias de melhor resposta e organização operacional para o combate aos incêndios florestais de grande proporção no DF”, explica a assessora da SEMA, Carolina Leite Queiroga Schubart.

 

O Capitão Henrique Correa Pinto, do Grupamento de Proteção Ambiental, responsável por um dos módulos do curso, explica que o SCI define padrões únicos e estabelece procedimentos a serem seguidos para uma resposta efetiva aos primeiros sinais de incêndio florestal, afim de evitar a sua evolução. “Nesse tipo de incidente, é importante que todos os órgãos utilizem os mesmos princípios, respeitem ao comando unificado e falem a mesma língua”, explica.

 

O Corpo de Bombeiros do DF destina cerca de 320 profissionais por dia, somente para o combate de incêndios florestais, durante o período de maior incidência desse tipo de incidente. O período mais crítico vai de julho a novembro.

 

O chefe do Núcleo de Combate a Incêndio do Jardim Botânico, Daniel Silveira Cândido, atesta a importância de que todas as instituições envolvidas com os parques e áreas de proteção ambiental estejam devidamente preparadas para estabilizar focos de incêndio, garantindo, assim, a proteção não somente da propriedade, como da vida e do meio ambiente.

 

 

“O curso de SCI nos ensina um protocolo de como agir em conjunto para combater o incêndio florestal. É muito importante que cada instituição conheça bem esses procedimentos”, explicou. O último grande incêndio no Jardim Botânico de Brasília ocorreu em 2011, quando o fogo consumiu cerca de 70% da área total do local.

 

Danilo Badke preside a Associação de Guardas-Parques do DF, uma entidade que reúne 40 brigadistas. O grupo trabalha, de forma voluntária, nas ocorrências nas unidades de conservação locais. “É um trabalho que oferece um grande risco na integridade física dos brigadistas, mas, para termos êxito nas nossas missões nos preparamos muito. Esse curso, por exemplo, é fundamental para sabermos como agir em relação às grandes catástrofes, inclusive no respeito à cadeia de comando”, explica Danilo.

 

“A capacitação é importante também para todos que trabalham com produtos perigosos, como gasolina, álcool e gás. Temos que estar qualificados para lidar com esses produtos”, explica a engenheira ambiental Ana Caroline Almeida, assessora da Diretoria de Riscos e Emergências Ambientais do Instituto Brasília Ambiental (Ibram).

 

Secretaria de Meio Ambiente (SEMA)

Assessoria de Comunicação Social

(61) 99360-1385